segunda-feira, 27 de outubro de 2008

NOSSA SENHORA DAS LÁGRIMAS

Na Serra, no Estado do Espírito Santo, a imagem de Nossa Senhora aparece nas paredes da casa, formada através da parede úmida, conforme eu mesma pude ver na casa. Na minha próxima visita a esse local vou tirar fotos para mostrar aqui.

Vertem-se água e óleo das imagens que estão na casa, essa água e óleo são dados para os doentes e muitos deles ficam curados, como o próprio filho do casal que ficou curado quando foi dado dessa água.

A vidente que tem visto Nossa Senhora por diversas vezes chama-se Maria Aparecida Martins D’ávila, a “Cidinha”.

Cidinha conta que quando encontrava-se em São Paulo, Nossa Senhora manifestou seu propósito de visitar um padre muito querido seu. Encontrava-se no Hospital das Clínicas, com câncer, em estado quase terminal. Sendo muito conhecido e estimado, a dificuldade para visitá-lo tornava-se grande. Mas Nossa Senhora, que a acompanhava, com a ajuda de outro grande sacerdote e um médico, conseguiu a permissão para visita-lo. Cidinha disse que teve a graça de ver esse encontro.

O padre estava sentado na cama, bem frágil, com as pernas muito inchadas. Diante dessa situação, Maria ficou profundamente enternecida, e Cidinha caiu de joelhos ao ouvi-la dizer ”padre, pode preparas as malas, o trem está chegando”. Cidinha prostrada só repetia no íntimo do coração: meu Deus, meu Deus!

Surpreso diante dessas palavras, o padre começou a dizer: “Não, não, não quero morrer, quero continuar trabalhando para Deus”. Cidinha relata que compreendeu que o desejo dele era igual o de Nossa Senhora. Mas o plano de Deus era diferente. Cidinha disse além de ser poderosa, Nossa Senhora é obediente, e mesmo podendo tudo, sua simplicidade e humildade não a deixam agir. Deus, no entanto não a deixou de atender totalmente, concedendo ao padre uma pequena melhora e uns dias a mais, de forma que fez mais uma palestra publicamente antes de ser levado.

Na noite em que o padre partiu, numa visão, Cidinha disse a ele: “O senhor não queria vir para poder trabalhar mais, mas veja quanto trabalho Deus lhe reservou aqui! O padre disse: “Quanto a voltar...não, não, nada me faz voltar, aqui é bom demais”. Cidinha diz que no coração sentiu que essas palavras deixaram Nossa Senhora muito alegre. Era tudo o que ela desejava vê-lo feliz para sempre, depois de uma vida dedicada a servir a Deus.

Nesse lugar as formiguinhas fazem um trabalho que nos chama a atenção, elas furam apenas a parte superior da folha, e formam desenhos, escrevem mensagens, muitas delas referindo-se aos homens, pedindo oração para eles. Numa dessas folhas, as formiguinhas desenharam o rosto de um médico, Dr Roque Savioli, o médico que acompanhou o Padre Léo.

Nas folhas são desenhadas muitas figuras e as mensagens continuam de folha em folha. Muitas figuras são de Nossa Senhora. No site abaixo tem fotos do local.

Livro: CESCA, Olívio. Maria das Lágrimas e as Formigas Bordadeiras. Editora Myrian. 2007

Saiba mais através do site: http://www.anslagri.org.br/

Nenhum comentário: